Tese de Mestrado em Perturbação Secundária de Stress Traumático (STSD)

Por: Susana Martinho de Oliveira *

MESTRADO EM PSICOLOGIA
Área de Especialização em Stress e Bem-Estar
Dissertação orientada pela Professora Doutora Alexandra Marques Pinto
UNIVERSIDADE DE LISBOA – FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

RESUMO

A Perturbação Secundária de Stress Traumático (STSD) tem sido descrita na literatura em cônjuges e filhos de sobreviventes do Holocausto, em equipas de salvamento e de emergência médica, em terapeutas de indivíduos traumatizados e em esposas e filhos de
veteranos de guerra. Com a constatação da problemática inerente ao sofrimento evidenciado pelas famílias dos Ex-combatentes da Guerra Colonial Portuguesa (1961-1975) e da lacuna existente ao nível teórico-empírico de estudos nesta área em Portugal, com este trabalho procurámos dar um contributo para o estudo do impacto da Perturbação de Stress Pós- Traumático (PTSD) de Guerra nas famílias dos ex-combatentes portugueses.

Através de um estudo quantitativo, correlacional e comparativo estudou-se o impacto da sintomatologia de PTSD e de sintomatologia comórbida dos ex-combatentes sobre as suas esposas e filhos, e a influência da sintomatologia de STSD e comórbida das esposas nos filhos. Para este objectivo, foram utilizados quatro instrumentos de avaliação: o Traumatic Events Questionnaire (TEQ), a PTSD Checklist (PCL), o Inventário da Depressão de Beck (BDI) e o Inventário de Ansiedade Traço-Estado (STAI).
A amostra total é composta por 66 famílias (198 indivíduos), tendo sido dividida inicialmente em dois grupos: o Grupo 1 em que o ex-combatente não sofre de PTSD e o Grupo 2 em que tem esse diagnóstico clínico.
Este estudo veio corroborar a existência de STSD nas esposas dos ex-combatentes com PTSD e a influência da sintomatologia comórbida destas mães sobre a dos seus filhos. Este estudo permitiu igualmente constatar que a sintomatologia traumática evidenciada pelos filhos não está relacionada com a PTSD do pai nem com a STSD da mãe, surgindo sim associada à variável género dos filhos.

Link para a respectiva página do repositório de teses da Universidade de Lisboa: http://hdl.handle.net/10451/80

A tese de Mestrado pode ser consultada na íntegra aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *