COVID-19 E STRESS DE GUERRA Ex-combatentes com stress de guerra pedem prioridade na vacinação

Comunicado de Imprensa // Janeiro 2021

COVID-19 E STRESS DE GUERRA

Ex-combatentes com stress de guerra pedem prioridade na vacinação

A APOIAR, Associação de Apoio aos Ex-combatentes Vítimas do Stress de Guerra trabalha há 26 anos com ex-combatentes da Guerra Colonial e Forças Nacionais Destacadas e com as suas famílias para os ajudar a lidar com o stress pós traumático resultante das experiências traumatizantes vividas em combate. Como instituição de saúde mental tem-se ressentido da impossibilidade de poder fazer consultas presenciais regulares aos seus utentes e as suas actividades lúdicas e de divulgação, fundamentais para a participação dos seus utentes na vida activa e social e conhecimento da sociedade civil da doença de que padecem.

Está a fazer um ano que a Associação APOIAR fez a sua última actividade presencial na sede da Associação, uma sessão de esclarecimento com a Associação de Cuidadores Informais sobre o Estatuto do Cuidador Informal. Em 2020 contam-se pelos dedos das mãos as consultas presenciais e as restantes actividades de grupo, quer terapêuticas e lúdicas, absolutamente fundamentais para a normalidade possível das pessoas que padecem desta patologia.

A situação tornou-se insustentável para os utentes da APOIAR e suas famílias. A saúde mental tem sido constantemente esquecida pelos responsáveis em Portugal. Mais do que nunca as consequências fazem-se e far-se-ão sentir. É urgente agir.

A Associação APOIAR enviou um carta aberta, que aqui publicamos, à Direcção Geral de Saúde, pedindo que os seus utentes e demais ex-combatentes com stress de guerra e outros problemas de saúde mental possam ser priorizados na campanha de vacinação.

A DGS respondeu confirmando que esta população não seria incluída na primeira fase da vacinação

A APOIAR reitera a necessidade de poder voltar a dar consultas e fazer as suas actividades de forma presencial o quanto antes e para isso está dependente da vacinação dos seus utentes. Antes que seja tarde de mais.


Ex. mª Sr.ª Dr.ª

Maria da Graça Gregório de Freitas

Directora-Geral da Saúde

A APOIAR, Associação de Apoio aos Ex-combatentes Vítimas do Stress de Guerra, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social com estatuto de utilidade pública que trabalha na área da saúde mental dando apoio a ex-combatentes vítimas de stress de guerra e aos familiares desde 1994.

A nossa população alvo tem idades compreendidas entre os 65 e os 80 anos, sofrem de patologias diversas do foro mental e físico tendo como suporte principal as suas famílias e cuidadores.

A Associação APOIAR teve um trabalho hercúleo nos últimos 25 anos para conseguir trazer alguma normalidade e bem-estar a esta população. Para isso tem sido fundamental a presença regular desta população nas consultas de psiquiatria, psicologia e clínica geral, terapias de grupo e actividades lúdicas, para que os tornem o menos excluídos possível.

Neste último ano tem sido uma tarefa quase impossível não fazer com que o trabalho realizado em 25 anos não vá por água abaixo.

Estas pessoas necessitam de sair de casa, correndo o risco de agravamento irreversível da doença de que padecem. Há um ano que o acompanhamento tem sido feito por teleconsulta com as consequências e limitações que uma consulta à distância acarreta.

Esta população, não estando em lares ou outras unidades de apoio social, não faz parte da fase inicial de vacinação e isso agrava mais ainda a sua situação clínica e social.

A saúde mental tem sido constantemente esquecida, excluída e abandonada pelos responsáveis da saúde em Portugal. Uma pandemia de patologias mentais está a crescer ainda mais escondida pela actual situação e só será revelada talvez demasiado tarde.

Os utentes da APOIAR estão numa situação insustentável. Corremos o risco de perder o trabalho conseguido ao longo de 25 anos. Esta gente e as suas famílias está na fase final das suas vidas e vê-se de repente abandonada naquilo que ainda lhes conseguia dar um equilíbrio emocional e bem estar.

Apelamos que sejam reconsideradas as prioridades na vacinação e sejam considerados os ex-combatentes com stress de guerra nesta fase inicial para que consigamos ainda salvar o pouco que resta da sua saúde mental.

A Associação APOIAR está disposta a colaborar com as autoridades de saúde no sentido de facilitar a identificação dos interessados.

Sem mais assunto, pedimos a melhor atenção ao exposto nesta missiva.

Lisboa, 13 de Janeiro de 2021

Pela Direcção da APOIAR

Jorge Manuel de Lemos Gouveia (O Presidente da Direcção)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.